Exposição: Dois cafés

dois cafés

Nas palavras de Luís Paulo Costa: “Dois cafés são duas pessoas e tudo o que está à volta. E à volta de dois cafés pode estar tudo.”

A exposição Dois Cafés de Luís Paulo Costa, um artista representado na coleção Figueiredo Ribeiro, em depósito no município de Abrantes, reúne um conjunto de obras inéditas, realizadas pelo artista entre 2020 e 2022.

Embora neste corpo de trabalho se encontrem peças tridimensionais, das quais se extrai o título para a exposição, esta é de natureza pictórica e as questões nela envolvida são as do campo da pintura. Isso acontece porque o trabalho de Luís Paulo Costa centra-se na credibilidade que a imagem pintada oferece, isto é, na sua fiabilidade face a uma imagem fotográfica ou a um objeto reconhecível. Porém, nos trabalhos mais recentes o próprio artista corrompe essa fiabilidade, introduzindo sobre a pintura de base elementos disruptores.

Vamos beber um café e conversar?


Artistas Luís Paulo Costa

Curadoria
Sara Antónia Matos

Público: geral
 

 

A conversa versará sobretudo as formas como o artista opera, os lugares onde pretende chegar e o modo como os indícios lançados por cada imagem são essenciais à construção de uma narrativa que no seu todo está por contar.

Os indícios são emitidos cadenciadamente ao longo da exposição, como fragmentos, instantes isolados, de um travelling a percorrer. Não existe um início ou um final preciso. No percurso há “Uma espécie de abertura” [2022], molduras e enquadramentos, entradas e saídas, fundos e superfícies, membranas translúcidas ou compactas, mais e menos rasuradas, com perturbações, lugares e momentos para demorar ou acelerar. Por detrás destes dispositivos pictóricos há certamente corpos e encontros entre estes que, não sendo explícitos, tingiram as telas com as diversas temperaturas da carne. A narrativa resulta necessariamente ambígua, opaca, porque os intervalos entre as imagens fazem com que a história que atrás delas remanesce permaneça inacessível.

Voltemos a “Dois Cafés” [2022], ao “Troco de Dois Cafés” [2022] e à narrativa que no seu todo ficou por ligar.

Num dos extremos da exposição, estão “Duas cadeiras vazias” [2022], pousadas no chão. Na realidade, essas cadeiras não são um convite para sentar, pela simples razão que são pinturas e desenhos, com o mesmo estatuto ontológico que as outras obras. Todas são pinturas, pese embora a natureza diversa do suporte. A peça convoca um encontro e uma conversa não declarada.

Entre a alusão que a pintura faz e a presença que ela é, eu diria que essa conversa anda sempre à volta das profundidades do olhar.

 


NOW
2022-09-17 00:00 - 2023-02-12 00:00
Todas as datas
  • De 2022-09-17 00:00 a 2023-02-12 00:00
Local
Museu Ibérico de Arqueologia e Arte
Telefone
241330100
E-mail
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
 

Powered by iCagenda

Neste sítio são utilizados cookies de forma a melhorar o desenpenho e a experiência do utilizador. Ao navegar no nosso sítio estará a concordar com a sua utilização. Para saber mais sobre cookies, consulte a nossa politica de privacidade.